sexta-feira, 22 de agosto de 2014

"Rabanada real" (Confeitaria Colombo - Rio de Janeiro, RJ)



Numa época em que sorveterias de Belo Horizonte cobram R$80 no quilo do doce, ou que um pedaço de torta nem tão caprichado vale R$10, pagar menos de R$20 numa sobremesa que serve duas pessoas não assusta muito. 

Ainda mais se ela for deliciosa e servida num local cheio de história, que existe há 120 anos. 

Pois bem, a rabanada real é o carro-chefe da Confeitaria Colombo, casa no centro histórico do Rio de Janeiro, inaugurada em 1894. 

Cerca de 3 mil pessoas visitam o local todos os dias, seja para almoçar, para tomar o chá da tarde ou para fazer um lanche. 

Mas são os doces que chamam a atenção, afinal, trata-se de uma confeitaria. 

A tradicional rabanada real se destaca. Além do sabor, ela nos remete a tempos de outrora, bem anteriores às modinhas de cupcakes, naked cakes etc. 



Trata-se de uma farta rabanada quente, servida com sorvete de baunilha, calda de vinho do Porto e passas. A cobertura leva um chantilly feito na casa, de comer de joelhos. Sobre ele, uma cereja, como antigamente. 

A rabanada é preparada com perfeição, e a união da calda quente com o sorvete gelado presenteia o paladar com prazerosa sensação.

O chantilly é leve, delicado e não muito doce. A doçura do sorvete também é equilibrada. 

Custa R$19,50 e serve facilmente duas pessoas que já tenham comido algo antes do doce.



O cardápio ainda oferece diversas opções de doces, salgados, sanduíches, omeletes e pratos principais. O almoço é servido no segundo andar. 



Boa pedida é o gigantesco camarão empanado recheado com queijo cremoso. 

Robusto, o crustáceo é cozido e tem cerca de 150 gramas. Custa R$22 e vale como uma refeição. 



A Confeitaria Colombo aceita cartões de débito e de crédito e funciona de segunda a sexta, das 9h às 20h. Nos sábados e feriados fecha às 17 horas. 

Vale a pena percorrer a decoração art nouveau, com espelhos belgas, móveis de jacarandá e balcões em mármore italiano, sem que para isso precise deixar a chave do seu apartamento para pagar a conta. 



Se encaixa no termo baixa gastronomia e na linha editorial do blog? Definitivamente, não. 

Mas o custo-benefício desta deliciosa sobremesa joga para o alto todos os princípios deste que vos escreve. Afinal, lugares como este estão acima de conceitos A ou B. 

Não é à toa que a Confeitaria Colombo faz parte do Patrimônio Histórico e Artístico do Rio de Janeiro como símbolo máximo do que representou a belle époque na cidade. 

Fica a dica de um lugar que vale a visita. 



CONFEITARIA COLOMBO
Rua Gonçalves Dias, 32 - Centro
Rio de Janeiro (RJ)
Tel: (21) 2505-1500


*Créditos das fotos: 
Foto 1: Divulgação
Foto 4: Divulgação
Foto 6: Site Confeitaria Colombo
Foto 7: Pepe Schettino

sexta-feira, 25 de julho de 2014

"Sanduíche de pernil com abacaxi" (Boteco Cabidinho - Rio de Janeiro, RJ)



O Rio de Janeiro tem algumas tradições gastronômicas interessantes e bem saborosas. 

Na Cidade Maravilhosa é comum encontrarmos chopes bem tirados, saborosos bolinhos de boteco - de camarão, bacalhau e até de feijoada - e excelentes sanduíches, geralmente recheados com pernil ou filé mignon

O melhor deles é servido no Cervantes, a Meca do sanduíche de filé com queijo e abacaxi. 

Mas no bairro de Botafogo encontra-se uma ótima versão da invenção do conde de Sandwich, mais precisamente no Boteco Cabidinho, que tem preços mais em conta do que os praticados no Cervantes. 



Aberto em 1965, foi reinaugurado em 2009, após uma reforma completa. E, apesar de ter dois andares, não é muito grande. 



O cardápio é vasto, com centenas de opções de petiscos, pizzas, pastéis, empadas e de pratos para uma, duas ou quatro pessoas. 

São 32 sanduíches oferecidos na carta. Todos eles preparados com pão de leite e abacaxi. 

Eles são acompanhados por batatas fritas, com exceção dos recheados apenas com queijo, como os de provolone (R$14), de queijo do reino (R$14), de gorgonzola (R$16), de muçarela de búfala (R$17), de brie (R$21) e de gruyère (R$21). 

O de pernil com abacaxi é uma boa pedida. Custa R$14 e é farto e saboroso. 



O pão de leite é macio e levemente tostado, e o abacaxi umedece a carne de porco. Sem a fruta, o sanduíche ficaria, inevitavelmente, seco demais. 

As batatas fritas que acompanham são sequinhas, porém são daquelas congeladas. 



Vale como uma refeição e, se o cliente desejar acrescentar queijo ao sanduíche, vai pagar R$3 a mais. 





Para acompanhar, vá de chope Brahma na tulipa de 300 ml, a R$6,50. 



O bacana é que os copos saem do congelador antes de receberem o líquido, que vem de uma serpentina de 160 metros, uma das maiores da cidade. 

O Brahma Black - chope escuro - custa R$9.

O Cabidinho aceita cartões de débito e de crédito e se tornou o paraíso dos boêmios da região, já que funciona 24 horas por dia durante a semana inteira. 



BOTECO CABIDINHO
Rua Paulo Barreto, 65 - Botafoto
Rio de Janeiro (RJ)
Tel: (21) 2527-2942

sexta-feira, 18 de julho de 2014

"Galeto ao molho Sat's + acompanhamentos" (Galeto Sat's - Rio de Janeiro, RJ)



O coração de galinha mais saboroso que já experimentei. O melhor galeto que já comi. Um pão de alho inesquecível e uma farofa de ovos de outro planeta. 

Estes são alguns dos pedidos que estiveram sobre a mesa em uma das melhores refeições da minha vida, no Galeto Sat's. 

Localizado em Copacabana, ao lado do tradicional Cervantes, o Sat's oferece um dos mais saborosos franguinhos do Rio de Janeiro. 

Do braseiro saem cerca de 800 galetos por semana. 



Vale a pena começar pela porção de coraçõezinhos de galinha, que custa R$18.



Eles chegam à mesa cobertos por pequenos pedaços de alho e de cebola, e o seu perfume é capaz de abrir o apetite de qualquer um. 

Apesar de quase crus, alho e cebola não agridem em nenhum momento. 



Preparado no ponto correto, a consistência do coração é perfeita. Ele é macio e suculento, sem perder o gosto de churrasco, graças ao carvão utilizado na churrasqueira. 



A junção da gordura do coração de galinha com o molho em que ele é temperado deixa a carne com um toque amanteigado digno de aplausos. 



O sublime pão de alho também é ótima pedida. 



Úmido e gordo, ele leva o mesmo molho usado na porção de coração. 



O diferencial é a manteiga, que, junto ao alho, gruda nos lábios. 

O ótimo e leve chope da Brahma (R$6 a caldereta de 350ml) tem a função de refrescar o paladar. 



Vale ressaltar que a casa não serve pães de alho industrializados. Eles são feitos ali mesmo, após o pedido do cliente, e não demoram para ficar prontos. 



Antes de ser colocado na brasa, o pão francês recebe um belo banho de manteiga com alho. 





Cada unidade sai a R$3,50, e pedindo duas o preço fica em R$6,50.



Mas o melhor está por vir. 

Campeão de vendas, o galeto ao molho Sat's é espetacular. 

Assado no braseiro, é temperado com limão, laranja, alho e pimenta calabresa. Custa R$21 e serve duas pessoas. 





A carne é macia, e a combinação de limão e laranja deixa o molho com extraordinário sabor cítrico. 

Sem dúvida alguma, é o melhor frango que já comi. 



Para acompanhar a refeição - que beira a perfeição -, peça arroz com brócolis, farofa de ovos à moda Sat's e batatas à portuguesa. 



Muito tradicional no Rio de Janeiro, o arroz com brócolis (R$12 a meia-porção e 16 a porção) é correto e saboroso, com pedacinhos de alho fritos. 



A farofa de ovos à moda Sat's (12 a meia-porção e R$16 a porção) é uma completa perdição. 



Preparada com muitos ovos, recebeu dos clientes o carinhoso apelido de "ovos com farinha". 

Os pedaços de ovos são grandes, e isso deixa a farofa com mais personalidade ainda. 



A crocância fica por conta das ótimas batatas à portuguesa (R$11 a meia-porção e R$14 a porção). 



Cortada finamente, no estilo chips, ela é sequinha e completa com classe uma refeição equilibrada e inesquecível. 



Aberto em 1976, o Galeto Sat's já foi uma espécie de "regra-três" do vizinho Cervantes, já que era a segunda opção para muitos clientes. 



Hoje já concorre com o vizinho na preferência da boemia notívaga de Copacabana. 

Para os fãs da "marvada", o Sat's oferece uma carta de cachaças de respeito.

Aceita cartões de débito e de crédito e funciona de segunda a quarta, de meio-dia às 4 da madrugada. De quinta a domingo fecha às 6 horas da manhã. 

Tomar um chope gelado e comer um belo galeto no Sat's é algo que todo boêmio deve fazer ao menos uma vez na vida. 



GALETO SAT'S
Rua Barata Ribeiro, 7 - Loja D - Copacabana
Rio de Janeiro, RJ
Tel: (21) 2275-6197

sexta-feira, 27 de junho de 2014

"Bolinho de bacalhau e sanduíche de filé com queijo a palito" (Jobi - Rio de Janeiro, RJ)



Um lugar que vale a pena visitar ao menos uma vez na vida. 

Os motivos? São, no mínimo, três: ótimo chope, excelente bolinho de bacalhau e um sanduíche de filé com queijo inesquecível. 

O lugar? Jobi. Simplesmente Jobi.



Aberto em 1956 por dois portugueses, é um dos bares mais célebres do Rio de Janeiro e fica no quarteirão mais movimentado do Baixo Leblon. 



O chope é um dos melhores da cidade. É tão leve e desce tão macio que fica fácil tomar sete ou oito tulipas com 300 ml do néctar da Brahma, a R$6,50 cada. 

Destaque para o bem tirado colarinho, com três dedos de espessura. 



À altura do chope estão os excelentes bolinhos de bacalhau servidos na casa. 



Com massa sequinha e crocante, tem recheio macio, saboroso e sem as incômodas espinhas do peixe. 

Bastam dois pingos de azeite para a felicidade ser completa. 





Cada unidade sai por R$4.



O sanduíche de filé com queijo é outra maravilha presente no cardápio. 



O legal é que ele pode ser servido partido em pequenos pedaços. A palito, como eles chamam no bar. 



Quer dizer, dá para dividir com os amigos entre um gole e outro de chope e não empanturra, o que pode acontecer ao comer um sanduíche inteiro nesta altura do campeonato. 



Antes de chegar ao cliente, o pão francês é colocado aberto e com fatias de queijo prato em forno semelhante aos de pizza, porém menor, por cerca de um minuto. 



Quando ele sai do forno, o filé mignon cortado finamente e preparado rapidamente na chapa vai direto para o pão, que fica torrado e crocante. 

O pedaço de carne é macio e suculento, e o queijo prato dá mais vida ao sanduíche. 



Vai bem com a boa mostarda preta da catarinense Hemmer. 

O sanduíche de filé mignon custa R$17, e sai por R$20,50 com o acréscimo de queijo, que pode ser prato, minas ou Catupiry. 

Para conseguir uma mesa - seja no salão, na varanda ou nas banquetas na calçada - é preciso chegar cedo, pois o Jobi lota ainda no final da tarde, quando muitos vão curtir a chamada happy hour. Depois chegam os boêmios, que esticam a diversão até alta madrugada. 



Antes de ir embora, não deixe de bater um papo com o Alves, gerente da casa. O paraibano tem casos espetaculares a respeito dos famosos que frequentam o bar. 

O Jobi aceita cartões de débito e de crédito e funciona de domingo a quinta, de 9 da manhã às 4 da madrugada. Às sextas e sábados fecha às 5 horas da matina. 

Ambiente agradável, bom atendimento, chope muito bem tirado, ótimo bolinho de bacalhau e sanduíche de filé imperdível fizerem do Jobi patrimônio cultural carioca. 

Definitivamente, eu poderia morar no Jobi. 



JOBI
Avenida Ataulfo de Paiva, 1166 - Leblon 
Rio de Janeiro, RJ
Tel: (21) 2274-0547